Cuidado com rabo de cavalo: suas principais contra-indicações

Não há dúvida de que, se existe uma planta com qualidades medicinais altamente conhecidas e populares, provavelmente a rabo de cavalo É um dos mais importantes, pois é de fato uma planta medicinal reconhecida com grande popularidade devido a sua ação diurética, especialmente útil no alívio e diminuição da retenção de líquidos e no alívio da dor reumática.

Por exemplo, é uma planta usada para aliviar a retenção de líquidos (edema), para o tratamento natural de infecções do trato urinário, cálculos renais, ou para ajudar com a incapacidade de controlar a urina normalmente (incontinência). ).

Mas como acontece com a maioria das plantas e ervas medicinais, ou como qualquer outro produto de origem natural, apresenta uma série de contraindicações que fazem com que, em certos momentos, seu consumo não seja aconselhável. E mesmo se pensarmos que os produtos naturais sempre podem ser seguros, a realidade é muito diferente: nem sempre são assim, e a dose pode ser vital nesse aspecto.

Além disso, considera-se como uma planta possivelmente insegura Quando é consumido por via oral a longo prazo, principalmente devido não só aos seus efeitos sobre a saúde, mas para ter uma substância química chamada tiaminase tende a degradar a vitamina B1 (ou tiamina).

De fato, como muitos especialistas dizem, não há consenso em relação a uma dose adequada de cavalinha, pois depende de diferentes fatores, entre os quais encontramos a própria idade ou estado de saúde da pessoa (isto é, se ele sofre). ou não qualquer patologia específica ou transtorno de saúde).

Quais são as contra-indicações do rabo de cavalo?

O uso de cavalinha nas seguintes condições ou distúrbios de saúde não é recomendado:

Diabetes

O rabo de cavalo pode chegar reduzir os níveis de açúcar no sangue. Por essa razão, seu uso não é recomendado no caso de pessoas com diabetes.

É altamente recomendável prestar atenção especial aos sinais ou sintomas comuns associados à diminuição dos níveis de açúcar no sangue, mantendo o controle adequado do diabetes, especialmente se você consome rabo de cavalo.

Baixos níveis de potássio

O hipocalemia (também conhecido medicamente como hipocalemia ou hipocalemia) consiste em uma perturbação do equilíbrio eletrolítico do organismo, no qual ocorrem diminuição dos níveis de potássio.

Nesse sentido, a cavalinha é capaz de aumentar a eliminação de potássio do organismo, o que significa que isso leva precisamente a níveis muito baixos de potássio. Portanto, seu uso não é recomendado em pessoas com deficiência de potássio.

Cavalinha pode causar irritação da mucosa gástrica, mesmo em doses pequenas e normais.

Gravidez e aleitamento

Tal como acontece com muitas plantas, no caso da cavalinha, não há informação confiável suficiente sobre se é uma planta segura para consumir durante a gravidez ou a amamentação.

Ou seja, não há provas demonstráveis ​​de que não produza efeitos nocivos no embrião ou no bebê.

Consumo de certos medicamentos

Não é recomendado o consumo de drogas de rabo de cavalo para controlar os níveis de açúcar no sangue no caso de diabetes, uma vez que eles podem causar uma diminuição acentuada nesses valores.

Por outro lado, não é aconselhável tomá-lo em caso de consumo de lítio, bem como medicamentos diuréticos para eliminar a retenção de líquidos, pois pode causar uma diminuição muito acentuada dos níveis de potássio no nosso corpo.

Outras contra-indicações de rabo de cavalo a considerar

Também não é aconselhável consumir rabo de cavalo em caso de:

  • Úlceras do estômago ou intestino
  • Acidez estomacal.
  • Gastroenterite
  • Problemas cardíacos ou do sistema respiratório.
  • Hipertensão ou hipotensão arterial.
  • Alcoolismo
Este artigo é publicado apenas para fins informativos. Você não pode e não deve substituir a consulta com um nutricionista. Aconselhamo-lo a consultar o seu nutricionista de confiança. TemasPlantas medicinais

Jurubeba verdadeira (Março 2019)