Fenilalanina como adoçante

Embora seja verdade que fenilalanina É caracterizada por ser um aminoácido essencial (isto é, fundamental para o nosso corpo porque não é capaz de produzi-los por si só), que entre outras funções básicas que nosso cérebro usa para a produção de noradrenalina, também é conhecido como parte do aspartame, um adoçante artificial que de uma forma muito comum - e habitual - podemos encontrar em diferentes alimentos, bebidas e produtos dietéticos.

Na verdade, quase certamente, em algum momento, você terá dado uma olhada no seu refrigerante adoçado habitual (por exemplo, o Pepsi Light ou o popular Coca Cola Zero) e você terá notado a seguinte mensagem: contém uma fonte de fenilalanina.

Com efeito, faz parte da composição do aspartame, um adoçante artificial que encontramos na maioria dos alimentos dietéticos, sendo muito comum o seu uso em refrigerantes.

Por que é avisado que um produto contém uma fonte de fenilalanina?

A principal razão é que o uso de produtos com fenilalanina não é recomendado nem por gestantes nem por pacientes com fenilcetonúria (fenilcetonúricos).

No caso da fenilcetonúria, é uma doença genética devido à falta da enzima fenilalanina hidroxilase ou diidropterina redutase, cuja deficiência faz com que a fenilalanina se degrade em uma via metabólica alternativa para o fenilpiruvato, um neurotóxico que afeta severamente a cérebro durante o desenvolvimento e crescimento. Precisamente a acumulação de fenilpiruvato causa oligofrenia fenilpirúvica, que é caracterizada por um QI inferior a 20.

No que diz respeito ao consumo de aspartame, recomenda-se um valor-limite diário de 40 mg / kg de peso corporal na União Europeia. Por exemplo, para uma pessoa de 70 kg. É equivalente a 2800 mg, o que evidentemente significa uma quantidade tremendamente excessiva, e é por isso que é comum que o consumo recomendado não seja excedido.

Imagem | reggie35 Este artigo é publicado apenas para fins informativos. Você não pode e não deve substituir a consulta com um nutricionista. Aconselhamo-lo a consultar o seu nutricionista de confiança.

ADOÇANTE ARTIFICIAL - DR. LAIR RIBEIRO (Setembro 2021)