A importância da segurança rodoviária nas crianças

A educação para a segurança viária é um dos temas transversais que ocorrem nas escolas. Por temas transversais entendemos aqueles que apesar de não incluírem no currículo oficial com objetivos, conteúdos e critérios de avaliação, são apontados como essenciais para complementar a formação das pessoas.

O Estado espanhol coloca especial ênfase nesta questão, uma vez que é o quinto país europeu onde mais acidentes de trânsito acontecem e, portanto, onde mais pessoas perdem suas vidas como resultado deles.

Acidentes acontecem e nem sempre podemos preveni-los, mas Uma boa educação sobre segurança no trânsito desde cedo não apenas cria uma consciência mais profunda da segurança no trânsito (como motorista e pedestre), mas fornece informações sobre as regras de trânsito.

Por sua parte, o conhecimento geral das regras de circulação por toda a população fará com que cada pessoa saiba o que fazer em cada situação, evitando assim ações inesperadas para o motorista ou pedestre. Esta questão é o resultado da necessidade de tratamento nas escolas, já que somente em 2012 um total de 5.959 crianças ficaram feridas ou perderam a vida.

Ensinar a ser um pedestre e usar um cinto de segurança

Esses dois aspectos talvez sejam os mais visíveis para uma criança que começa a andar e entende o significado de "segurança viária". No entanto, de casa, como tudo, a educação rodoviária começa.

Muitas vezes, com a pressa, decidimos ignorar os semáforos vermelhos como pedestres (ou mesmo como motoristas em algumas ocasiões). Nós olhamos para um lado e outro, vemos que ninguém vem e corremos de uma calçada para a outra. Nós até fazemos isso na frente de nossos filhos e enfatizamos que o que estamos fazendo é errado, e ainda assim fizemos. Nós amamos a frase "faça o que eu digo e não o que eu faço", mas é mais do que provado que o exemplo é a melhor maneira de instilar valores. As palavras são levadas pelo vento, mas os fatos permanecem na retina.

Bem, este é o primeiro passo: nunca cruze em vermelho com o nosso filho (e de preferência quando estamos sozinhos também) e sempre use um cinto de segurança.

Muitas crianças reclamam quando colocam o cinto, mas devemos enfatizar que o cinto é tão necessário para colocá-lo como é tomar banho todos os dias. Não é uma opção, é um dever.

Ensinar a ser motoristas responsáveis

Embora pareça impossível, nosso modo de estar ao volante condicionará nosso filho, não apenas em seu futuro como motorista, mas na concepção do que a estrada significa.

Devemos torná-los conscientes das responsabilidades que um motorista deve ter antes, durante e depois da condução. Com isso nos referimos ao uso do capacete, boa alimentação para estar alerta e manter a atenção em todos os momentos, evitar levar o carro sob estresse, fazer pausas e não ficar atrás do volante quando sentir sonolência ou fadiga, controlar a velocidade e adaptação aos regulamentos rodoviários, etc.

Desta forma, o nosso filho observará, por exemplo, que após várias horas de condução é necessário parar para esticar as pernas, beber açúcar e descansar por alguns minutos. Esse fato fará com que você valorize sua segurança e a dos que estão ao seu redor.

Obviamente e não é necessário mencioná-lo, nunca, nunca e sob nenhuma circunstância dirigir sob a influência de álcool, drogas ou drogas que expressamente indicam a impossibilidade de estar ao volante.

Ensinar o impacto ambiental do tráfego

Os gases nocivos que qualquer veículo emite para o meio ambiente são uma realidade sempre presente e que todos os países têm como objetivo anual: a redução de emissões.

Cada cidadão também é responsável por essas emissões em maior ou menor extensão e, portanto, devemos ser consistentes e evitar tantas emissões quanto possível. Temos de mostrar que é sempre melhor usar o serviço de transporte público do que o carro particular e que, para viagens curtas, é melhor usar meios que não gerem gases nocivos (andar, andar de bicicleta, patins ...).

Tenhamos sempre em mente que viver na Terra é apenas um empréstimo e que devemos devolvê-lo à medida que o encontramos para as gerações futuras. Este artigo é publicado apenas para fins informativos. Você não pode e não deve substituir a consulta com um pediatra. Aconselhamo-lo a consultar o seu pediatra de confiança.

Agentes do transito, Educação segurança rodoviária para crianças, desenhos animados infantiles (Março 2019)