A maravilhosa lenda maia do chocolate

Você sabe que o chocolate, ou melhor, o cacauvem do México? Ela remonta a quase 4000 anos, havendo tanto evidências históricas e arqueológicas para o ano 2000 aC, para encontrar uma primeira pequena aldeia localizada no vale de Ulua (Honduras) em que o chocolate teve um papel central, com a presença de copos que foram utilizados exclusivamente na preparação e consumo de Xocoatl (a bebida de chocolate original).

De fato, o cacaueiro (conhecido cientificamente com o nome deTheobroma cacau) cresceu naturalmente nas diferentes florestas tropicais presentes no Orinoco e no Amazonas, começando a crescer na América Central.

Pouco tempo depois, no tempo dos astecas, os grãos de cacau foram usados ​​como moeda, até que alguém esmagou as sementes e misturou-as com água, descobrindo uma bebida maravilhosa e autêntica.

Palavra cacau vem da palavra asteca "cacahuatl". Para os maias, simbolizava a longevidade, a força e o vigor físico, de modo que era usado não apenas como bebida afrodisíaca, mas também como um remédio estimulante, relaxante e restaurador.

Foram eles que começaram a fazer uma bebida de sabor amargo e espumante conhecida como " chocolha", Feito de sementes de cacau e que foi acompanhado de milho, especiarias ou pimenta.

Mas você não pode contar a história e origem do chocolate sem lembrar a maravilhosa lenda maia do chocolate. Uma lenda que chegou aos nossos dias e que descreve a história do cacau.

A lenda do chocolate

Quetzalcoatl Ele foi considerado pelos maias como o deus da sabedoria. Diz a lenda que um dia ele desceu com os toltecas dando-lhes alguns presentes: por exemplo, ele os tornava donos de feijões, milho e mandioca, dando-lhes a possibilidade de nunca lhes faltarem alimentos.

Graças a isso puderam passar horas estudando, tornando-se grandes e maravilhosos escultores, artesãos e arquitetos. Pouco depois, como sinal de seu amor pelos toltecas, ele decidiu dar-lhes uma planta que Quetzalcoatl já havia roubado de seus irmãos.

Ele pegou o arbusto com folhas vermelhas e plantou nos campos de tula. Então, ela pediu a Xochiquetzal para decorá-la com suas flores e Tlaloc para alimentá-la com a chuva.

Com o passar do tempo, o mato cresceu e começou a dar frutos. Foi assim que ele o ensinou a pegá-los, torrá-los, moer e espancá-los com água em jicaras. Foi assim que eles obtiveram o Chocolate, uma bebida maravilhosamente mágica que só os nobres, sacerdotes e deuses podiam desfrutar.

Mas as pessoas começaram a consumir essa rica bebida, convertendo assim os toltecas em artistas e construtores sábios, graças às qualidades estimulantes e restauradoras do chocolate. Isso despertou a inveja e a fúria dos deuses.

Um dia, um dos deuses se disfarçou de mercador e ofereceu a Quetzalcoatl uma bebida chamada tlachihuitli, com a qual ele prometeu esquecer seus problemas e tristezas. O deus ficou bêbado profundamente e rapidamente, e sentiu tanta desonra e vergonha para com seus irmãos que decidiu sair para sempre.

Mas em sua partida, pouco antes de partir, notou que todas as plantas de cacau tinham secado. Foi quando ele jogou as últimas sementes de cacau em Neonalco (atual Tabasco), que finalmente floresceram sob sua mão e chegaram aos nossos dias. TemasChocolate

PROVANDO COXINHAS DE VÁRIOS SABORES DIFERENTES!! (NUTELLA, BEIJINHO E DE PIZZA) (Fevereiro 2019)