Quais são os hormônios da felicidade e para que servem?

Pense um pouco sobre quantas vezes você desejou encontrar uma poção mágica de felicidade. Certamente muitos, e cada vez que você chegou à conclusão de que, infelizmente, isso é ridiculamente impossível. No entanto, talvez não seja assim, porque essa poção de felicidade não só é possível para encontrá-lo, mas está dentro de nós, especificamente em nossos hormônios.

Embora possa soar como uma história para os mais céticos, não apenas os hormônios da felicidade existem, mas seu efeito positivo em nosso humor é cientificamente comprovado. Felizmente, sabemos muito sobre eles e como estimulá-los a aumentar nossos níveis de felicidade.

Adrenalina

O primeiro hormônio da felicidade, vamos falar é sobre o adrenalina, dos quais você provavelmente já ouviu mais de uma vez. Sua função em nosso organismo é vital, já que é o que é segregado em uma situação de perigo ou tensão. Isso nos permite reagir rapidamente a uma circunstância inesperada, como um possível acidente de trânsito ou uma agressão.

A adrenalina provoca várias respostas em nosso corpo, todas destinadas a responder a essa situação perigosa. Aumenta a pressão sanguínea e aumenta a respiração, o que nos dá mais energia nos músculos que se preparam para uma possível fuga ou um esforço maior (a famosa história de quem segura um guarda-roupa extremamente pesado impedindo-o de esmagar outra pessoa). O funcionamento do nosso cérebro e nossos sentidos também são aguçados.

A adrenalina também pode estar em resposta a uma situação estressante como um exame, uma apresentação perante um grande público ou uma entrevista de emprego. Ele também é segregado em situações de amor: quando nós coramos ou sentimos que o coração vai escapar do nosso peito, é a adrenalina fazendo o seu trabalho!

A adrenalina também pode estar associada a atividades que envolvem risco, vertigem ou velocidade e produz uma sensação de euforia extremamente revigorante. Para poder estimulá-lo, você pode praticar esportes como surf, mountain bike, escalada, rafting, skate, paintball ou qualquer outro esporte de aventura.

Serotonina

Embora não tenha tanta pressão como adrenalina, o serotonina é outro hormônio da felicidade, que está associado com prazer e humor. É segregada em nosso sistema nervoso central e tem muito a ver com o humor.

Quando uma pessoa tem um baixo nível de serotonina pode desencadear estados depressivos e transtornos de personalidade como comportamentos compulsivos. Isso também pode trazer distúrbios do sono, diminuição do desejo sexual ou um aumento no apetite (especialmente carboidratos), o que pode levar a um ganho de peso indesejado.

Para manter estimulada nossa produção do hormônio da felicidade da serotonina devemos seguir estas dicas: reduzir situações de estresse, evitar o excesso de calor, comer bem, reduzir o consumo de álcool e cafeína, nos expor - com cuidado do sol.

Outra maneira de desenvolver níveis mais altos de serotonina é fazendo atividades prazerosas, do sexo a um hobby, esporte ou atividade artística ... ou tudo isso.

Endorfinas

Já falamos sobre esse famoso hormônio da felicidade chamado endorfina, isso Eles estão associados a sentimentos de calma, bem-estar, alegria e estado de amor.. As endorfinas também têm um efeito analgésico natural e reduzem nossa ansiedade.

Para ativar a produção de endorfinas, há muito que você pode fazer. Como dissemos, são os hormônios de se apaixonar, então, de ver a pessoa desejada para relações sexuais (incluindo também apenas beijos e carícias) vai despertar a produção de endorfinas.

Você também pode praticar um esporte que goste, especialmente aqueles que envolvem exercícios de resistência, como natação, ciclismo, patinação, corrida ou caminhada, desde que sejam agradáveis. Ficou provado que com a acupuntura, com aromaterapia e com maior contato com a natureza, as endorfinas também são aumentadas. Finalmente, o último grande método de cultivar esses hormônios da felicidade é o riso: rir, sorrir ou morrer de rir até chorar! Este artigo é publicado apenas para fins informativos. Não pode nem deve substituir a consulta com um psicólogo. Aconselhamos que consulte o seu psicólogo de confiança.

Serotonina: o hormônio do bem estar. (Fevereiro 2019)